1 de maio, dia do trabalhador | Fardo de Ternura

1 de maio, dia do trabalhador

Maio 1, 2020 | Maternidade

Hoje, dia em que se celebra o Dia do Trabalhador, nossa homenagem vai para as trabalhadoras mães com esse texto sobre maternidade e trabalho.

Já avançamos bastante na conquista de direitos, mas na prática ainda temos um caminho a percorrer na busca por mais respeito às mulheres no período da gestação, na efetividade de práticas que favoreçam a amamentação no retorno ao trabalho e na garantia dos direitos.

Não é incomum que mulheres sejam questionadas sobre seu planos de engravidar ou que acabem sendo preteridas se forem casadas e sem filhos em processos seletivos. Quando empregadas e anunciam a gravidez muitas vezes sentem a insatisfação de seus superiores e a falta de compreensão com as ausências por consulta médica ou por eventuais mal estares, ainda que de forma velada.

Apesar de ser um momento de saúde e não de doença, a gestação pode acarretar alguma questão que vai exigir um cuidado maior e por vezes alguma restrição na atividade de trabalho. Quem aqui, apesar disso, se sentiu exigida a mostrar uma eficiência ainda maior no trabalho?

Com o nascimento do bebê inicia-se a licença maternidade e outra situação se coloca já que pela CLT (pra quem tem esse tipo de contrato) esta tem a duração de apenas 120 dias. São 4 meses quando, para proteção da saúde do bebê, são recomendados seis meses de amamentação exclusiva! Como alcançar os seis meses, conseguindo suprir a necessidade do bebê voltando a trabalhar dois meses antes? Como evitar o uso de bicos artificiais para que se garanta a continuidade da amamentação pelo maior tempo possível, caso a mulher deseje?

Junto com isso ainda temos uma outra questão, na maioria dos ambientes de trabalho não há local adequado para ordenha e armazenamento de leite materno para que a mulher possa drenar o leite produzido ao longo do dia e aliviar as dores, manter sua produção e repor o estoque do leite que será dado ao bebê em sua ausência.

São muitas questões que exigem preparo emocional, uma boa rede de apoio, orientação de qualidade sobre amamentação e retorno ao trabalho para enfrentá-las. Além disso, conversas nos locais de trabalho serão importantes para que haja mudanças.

Sobre o fardo

Fardo de Ternura

Nossa missão é prestar assistência integrada à mulher no processo de gestação, parto e pós parto, sendo suporte em sua busca pela gestação e maternidade respeitosas, com informação, acolhimento e apoio às suas escolha.

Compartilhe: